28.11.07

LEPREVOST- ARRASA!!!!

entre teus dentes sustenidos
ontem morrerei
no abandono de continuar te amando

teus brincos, bambaleantes torres
de onde a lua inebriada de sons e girândolas
despenca gota a gota

ontem morrerei na harmonia de tuas lágrimas
na inhaca lagunosa de tuas constelações

morrerei

e minha focinheira foi o vaso de tuas primaveras

confessadas no que jamais fiz
encontrar alaúdes na soleira do fim, não encontrei

não vi alçar da sonolência os alçapões
nem tuas favelas verdejaram cheiro e luminosidade de colina

tuas pálpebras de impalpável jardim comeram a luz

das anêmonas, quando ontem morrerei

Ode Mundana – pg. 18 (Editora Medusa)

Um comentário:

KIMDAMAGNA disse...

"leprevost-arrasa"
podes crer.
Poesia como particularmente gosto. Vislumbras sempre um além de coisas, poetisas te em devaneios no vão cru do real.
Uma poesia alada ,esvoaçante, roçando docemente o sentimento,
de pés assentes no caminho.
Parabens
http://kimang.blogspot.com/2007/12/platnio-resfriado.html