29.4.08

Bia, Juju e Marcela são MADAME KAOS






Sim! eu AMO essas 2!

25.4.08

Poema de Walt Whitman

Sex contains all, bodies, delicacies, results, promulgations,
Meanings, proofs, purities, the maternal mystery, the seminal milk,
All hopes, benefactions, bestwals, all the passions, loves, beauties, delights of the erath,
All the governments, judges, gods, follow’d persons of the earth.
These are contain’d in sex as parts of itself and justifications of itself.

*do livro: “A Woman Waits For Me”, escrito no século XIX.

17.4.08

O Dudu aparou as arestas do poema q fez para mim e eu adorei tbm...

Sonhei com Iceberg (para Ju Holanda)

Eu vi um iceberg se erguendo do meio da calamidade urbana.
O frio espinha acima era uma sensação entre o preto-e-branco e o cintilante.
O verão veio cheio de asfaltos fervendo, shoppings coloridos, supermercados com ar condicionado e nenhum abalo sísmico toca o iceberg urbano.
Calores, frios, dores, calafrios pintados nos rostos da cidade soturna entornam nos nossos olhos porções de gliter prateado.
Sensibilidade à flor de azarrôs
Dama-da-noite florada em tragos
Ossos expostos em posição de entrega.
Frascos quebram-se
E no fim da esbórnia o sol esbarra nos cacos refletindo lumibrilhantes
naquele iceberg pós-moderno.
Uma gota lagrimamente faz passeio pelo seio da montanha de gelo cálido.
Saio de mim e caio de cabeça na metrópole-atropelo,
Vôo ao alcance do cume quando canso da vida
A rua asfaltada vista dos píncaros é muito mais bonita.

DuduPererê

16.4.08

Ganhei do Dudu Pererê

Sonhei com um iceberg (para Juju)

Eu vi um iceberg se erguendo do meio da calamidade urbana.
O frio espinha acima era uma sensação entre o preto-e-branco e o cintilante.
O verão vem cheio de asfaltos fervendo, shoppings coloridos, supermercados com ar condicionado e nenhum abalo sísmico toca o iceberg urbano.
Calores, frios, dores, calafrios pintados nos rostos da cidade soturna entornam nos nossos olhos porções de gliter prateado.
Sensibilidade à flor de azarrôs
Dama-da-noite que aflora e intriga
Ossos expostos em posição de entrega.
Frascos quebram-se e no fim da esbórnia o sol esbarra nos cacos e reflete lumibrilhante de chapa naquele iceberg pós-moderno.
Uma gota lagrimamente faz passeio pelo seio da montanha de gelo cálido.
Saio de mim e caio de cabeça na metrópole-atropelo,
Vôo ao alcance do cume quando canso da vida
Dos píncaros a rua lá embaixo é muito mais bonita.

15.4.08

Pintura

mãos entrelaçadas no quarto verde
música ambiente
respiração ofegante
espelhos por todos os lados

impossível escapar de um amor
regado a desejo e vontades
verdade e pureza

olhos nos olhos
movimento

tudo se mexe em nosso corpo uno

caldeirão de sentimentos
a morte perto, longe

noite misturada com sede,
travesseiros e luzes

eu; cachoeira
você; riacho

perfeição desenhada na paisagem – nós.

Dinamite

o desespero de não te ver todos os dias
mistura-se com a tranqüilidade que invade a alma
de saber dos seus quereres por mim

dói o não te olhar,
mas te ouvir me acaricia
e faz renascer o frescor que é a sua pele roçando na minha

suas mãos me seguram firme
seus lábios me envolvem
e as línguas dançam leves.

nos acariciamos e
é como se com uma borracha
quiséssemos apagar rabiscos esquecidos um no outro

tentamos injetar um novo perfume em nossas veias
um perfume denso, especialmente criado pela mistura de um suor
que meu é seu
que seu é meu

um suor entre gritos,
gemidos,
vontades,
sussurros,
palavras,
sorrisos...

um abraço apertado com tempero de lágrimas
é só que sabemos de nós
quando tudo ao redor; explode!

14.4.08

É o amor...

seus olhos têm um brilho fumê
e o reflexo do seu corpo no espelho do teto
enquanto me abraça e dorme
é a obra de arte mais sutil
você ressona em minha nuca
e parece que estou levitando.

você me deixa leve e eu sorrio mesmo enquanto sonho
seus braços fortes me protegem

eu tive muito medo de não mais dormir assim
muito medo de não mais dormir contigo

agora falo com o vento e gargalho
meus olhos brilham e parece que te olham

o nosso adormecer foi o mais lindo pôr-de-sol
amanheceu
acordamos; estávamos vivos
fizemos do café da manhã o nascer do sol mais colorido
e desenhamos um arco-íris de sorrisos depois do banho.

ICEBERG

Para comprar o livro entre em contato comigo através do e-mail: jupyhollanda@gmail.com

Aí eu mando o número da minha conta, vc faz o depósito e eu mando por correio para a sua casa.

O preço do livro é R$25,00 e + o correio que deve ser umas 5 pratas dá um total de trintinha.

Bjos,

Juju


9.4.08

Mais um poema do MESTRE (Chacal)

juju em bons lençóis

juju sonhei contigo

cheirando à lavanda

numa lavanderia

entre lençóis

e era tão tão a sensação

daqueles lençóis

tremulando entre nós

e o china da lavanderia

nem ali pra nós dois

aspergindo lavanda no ar

e nós entre os lençóis

tramávamos loucuras

à noite no bar

e depois da lavanderia

na ponta de um iceberg

nós dois e o china

aspergindo lavanda no mar

zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz



Chacal


-----------------------


Não preciso nem dizer que AMEI! Me surpreendi e emocionei!!!!


Juju


-----------------------


8.4.08

Tô adorando as brincadeiras...

com meu "ACORDEI NUM ICEBERG"...

- A Bia quando anunciou o lançamento no blog dela disse:

E O ICEBERG ACORDA...

- O Chacal já disse que o Lançamento será: "a fria mais quente do ano"

- O Saulo fez um poema:

se a música brasileira não é só bossa nova
se sua vida não é só poesia
se você é cleptomaníaco
se sua fúria foge pelo ladrão
e seus problemas são remoídos pela fúria
não fica assim, desencana
leia o livro da juliana hollanda!

- e o Alex Hamburguer disse que vai ao Lançamento pq "imagina se ele ficaria dormindo nos trópicos?"...

Enfim... contando os minutos. Frio na barriga da porra! Ansiedade a mil. Adrenalina no limite... é contagem regressiva para Sexta dia 11/04 às 19h na Casa França Brasil. Allez up!

4.4.08

Para Chacal

Mr. Chacal super poeta com mil identidades
Entre máscaras de papel marchè e gôndolas de supermercado
Histórias são contadas com mil palavras e rimas e cores
Em botecos
Em poças d´água de nuvem
Em carinhos e amizade
Em travessias de pontes

Risadas regadas à nicotina
Vodka para lavar à alma
Férias!
enfim... sós
poderemos cantar rock n´roll
em esquinas e praias e estradas.
o iceberg me consome até a última gota a derreter
um medo de visualizar o que tanto dá certo
medo de dar errado de todas as minhas dadas erradas
de todos os meus dados jogados à esmo no vento
todos os dedos que cortei
todas as unhas que quebrei
as meias que rasguei
os gritos que soltei
tudo o que comi
tudo que expeli
tudo que bebi
e vomitei

todo o frio na barriga que deixei congelar
todas as febres
espirros, dores de cabeça
ressacas de uma vida anestesiada até o limite
resgates de uma estabilidade surda
num mundo cor de rosa regado a dissabores
cigarros e champanhe.

sim, essa sou eu!

Ganhei um poema do Chacal...

Não preciso nem dizer que amei e nem do quanto amei...
ele é fofo demais e eu não podia imaginar, aliás, nunca imaginei que fosse se tornar assim amigo, próximo e gostar tanto de mim quanto o poema demonstra...

Passa lá no blog do CEP!

2.4.08

escadas construídas com degraus imaginários
canções de amor e tremedeira
olhar o horizonte e enxergar o desejável

bíceps de marshmellow derretem na boca
enquanto suores misturam-se na madrugada de uma cama quente
aquecida por um sol de enlouquecer.

seria fácil se a linha fosse reta
e as noites, dias, noites
deixassem de ser escuras
naqueles momentos em que são lágrimas alimento para desistências.

cores de chocolate contróem paredes de castelo
como pérolas no pescoço de meninas esvoaçantes

voam asas de borboleta
ultrapassando desejos
desviando de nuvens no meio da tarde.

pisamos na grama
ingerimos suor
pensamos em futuro
falando de amor

corremos assustados com medo de não conseguirmos abrir a porta amanhã.

Será que ficamos mesmo feias assim quando...

PEQUENAS ALEGRIAS

Há um pequeno poema caindo do bolso da minha calça

Há estrelas caindo do teto da igreja

Há a garota assustada encolhida no canto da cama

Há o homem grande e triste segurando um copo de whisky

Há a mãe mentindo para o seu filho

dizendo que um dia ele vai ser feliz

Há os que acreditam em mães carinhosas e bem intencionadas

esses se tornam psicopatas ou suicidas

Mães não vão para o inferno.

Há uma espécie de limbo para as mães e elas estão todas lá

Há os que não prestaram atenção em suas mães

esses assobiam swamp music no metrô

e voltam para suas casas lendo “O Monstro do Pântano

esses terão apenas pequenas alegrias

como afagar a cabeça de um cachorro

ou abraçar o porteiro do restaurante

Mensagens fúnebres na noite de natal

mas eles já estavam preparados

por isso apenas enchem seus olhos de lágrimas

enquanto servem outra dose

ao contrário dos outros que arrancam os cabelos

e arremessam telefones contra a parede

esses que querem vingança

e acham que enganam Deus quando se ajoelham pra rezar

Os que não ouviram suas mães não rezam

apenas andam por aí

com seus pequenos poemas caindo do bolso de suas calças

e fazem de suas pequenas alegrias uma farra eterna

Há essas pessoas simples e evidentemente tristes

que enchem de alegria meu coração presciente

E há essas mulheres lindas que querem conquistar o mundo

e que inevitavelmente perdem todo o charme

quando procuram esbaforidas algo em suas bolsas.


Mario Bortollotto

1.4.08

Better when You´re naked - Ida Maria

Oh the clever
things I should say to you
They got stuck somewhere
Stuck between me and you

Oh I'm nervous
I don't know what to do
Light a cigarrette
I only smoke when I'm with you

What the hell do I do this for?
You're just another guy
OK, you're kind of sexy
But you're not really special

But I won't mind
If you take me home
Come on, take me home

I won't mind
if you take off all your clothes
Come on, take them off

'Cause I like you so much better when you're naked
I like me so much better when you're naked
I like you so much better when you're naked
I like me so much better when you're naked

quem não for tá de mal...



Por acaso eu?!

"Catalyst" - Anna Nalick

L.A. lights never shine quite as bright as in the movies
Still wanna go?
'Cause something here
In the way, in the way that we're constantly moving
Reminds you of home

So you're taking these pills
For to fill up your soul
And you're drinking them down with cheap alcohol
And I'd be inclined to be yours for the taking
And part of this terrible mess that you're making
But me, I'm the catalyst

When you say love is a simple chemical reaction
Can't say I agree
'Cause my chemical, yeah, left me a beautiful disaster
Still love's all I see

So I'm taking these pills for to fill up my soul
And I'm drinking them down with cheap alcohol
And you'd be inclined to be mine for the taking
And part of this terrible mess that I'm making
But you, you're the catalyst

You'll be the vein
You'll be the pain
You'll be the scar
You'll be the road, rolling below
The wheels of a car
And all of the thoughts, on God
Don't know if I'm strong enough now
You'll be the vein
You'll be the pain
You'll be the
Catalyst

These L.A. lights, no no,
They don't shine quite as bright as back in Frisco
Do you wanna go?
Still wanna go