27.8.07

blind

Colher framboesas
Nada se parece
com emaranhadas
teias vermelhas.


Uma mordida no coração
Amareloarroxeado
depois de tanto tapa e desespero.

Como fruta estourada, pisada, deixada
no chão do quarto
sofro em calafrio
congelados ais.

No “zona sul” , é impossível comprar alegrias
só sorvetes, caramelos, bombons de licor.

Na esquina, é usual comprar embriaguez
em botecos sujos
e olhares de luxúria

Sexo,
beijos vazios
nenhum telefonema
no dia seguinte.

Amoras, morangos, framboesas, vermelho, cor de rosa, açúcar, doce, purpurina...

Só no campo
e no seu olhar


[Estamos na cidade cegos!]

Um comentário:

Daniel Mesquita disse...

Juju, lembro de vc declamando essa. Mto linda!