4.5.07

dunno how to swim

a luz da ilusão chega agora
não sei
a voz da solidão se perpetua
talvez

antes pensa
contabiliza durante
chora depois

faz o que quer
não pode

deve sempre escorregar solfejos de querer
deixar sair para que uma hora se quebre
a escada de pássaros desafinados
e se transforme em voz
de pensamento
fazendo a foz do esquecer
imersa em folhas
afogar

desafalecer no mar salgado em bolhas tristes
para brincar de verdes pétalas
último suspiro na concha das árvores

Um comentário:

Mônica Montone disse...

passando para sentir [e deixar] um cheiro :o)

beijocas

MM