19.8.08

Amor, uma série ( V )

(olhares.com)

é o tal abrigar no peito carros, em movimento, de cor azul metálica
"sniff’s" de gripe ou de choro
ao seu lado no banco oposto, no ônibus, uma mulher funga

em algum lugar alguém usa sandálias de dedo
sente frio
pisa num cigarro perdido nas pedras portuguesas
na calçada
num chiclete
você pisa

e mergulha sem volta no abismo.

Um comentário:

adriana monteiro de barros disse...

Ju, amei o poema! Lindo, cativante, sensível...e mais blá, blá, blá...
bjs querida