20.12.06

um dia eu acordei tão triste. sem a possibilidade de você. tão...triste.
tão triste que ao invés de chorar, sorri. tão nada que na impossibilidade de te achar, parti. tão longe que sem sapatos, sentei. tão idiota nem sequer pensei em voltar para onde te perdi. tanto frio que sem lençois, congelei na praça. tão lua que sem calefação fotografei ruas.

sem passos que na arei deixei as pegas e peles do pé.
adormeci no desmaio da noite.
sem chão,
sem fim...

sem o fim que não amanhece
para morrer em paz
sem a paisagem que me faz ser
vida.

Um comentário:

Maristela disse...

BOM MINHA LINDA