25.10.06

Cadê?

Onde estão os finais brilhantes
Os meios confusos
Os inícios geniais?
Na falta que o outono traz...
Nas descobertas que o sono leva,
Nas trevas, na escuridão.

Tudo se escondeu por aí no meio da caverna. Onde estão as velas? E a luz de dizer não?

O discernimento esconde seu talento de me fazer mal
no sereno patético do desentendimento
de ser ou não ser.

Sou aquela que ama e quer você! Sou aquela que nasce pra te querer. Sou aquela que escreve pra te traduzir. Sou aquela que grita pra exorcisar. Misturo desejo e dor num copo longo. Pingo gotas de limão. Trituro folhas de hortelã pra decorar um mojito inconsistente de palavras.

Gritos estridentes. Estilhaços. Cacos! Desabo em lágrimas...

Você não me quer? Eu sei.
Meu não te querer? Você não sabe.
Fica com a idéia que te quero zunindo como mosca azul em sua orelha vida.
ZZZZZZZZZZZ.
Zum Zum que irrita.
Zum Zum.
Eu não te olhei.
Zum
ensurdeci.

Um comentário:

maristotelica.blogspot disse...

esse é muito bom!
muito bom!
beijukas