6.10.06

Deserto

As flores estão mortas
Quando olhei na janela,
O vaso seco,
As cores murchas...
Chorei.

Chorei para reaviva-las
Numa canção de amor
Chorei...

Eu ainda desafino um pouco
Lágrimas de amor...

Elas estão mortas
Não nasci para cuidar de flores
Nem de mim...

Elas estão murchas, secas, mortas!
Elas estão como eu...
desertas!

2 comentários:

maristotelica.blogspot disse...

Regue-as, amor! Regue-as!
Voce leu um que eu escrevi das flores negras no meu jardim no maristotelica...
Estamos conectadas.
Depois ei vou te dar uma fta do que tenho observado nas tuas falas que melhoraram muito.
Beijos

Juju Hollanda disse...

eu rego, eu rego...mas elas morrem do mesmo jeito!

quero saber tudo!

Bjos